Indústria de fundos fecha o ano de 2019 com R$ 5 trilhões em patrimônio – Renda Variável representa 10,14%, melhor patamar desde março de 2013.


O levantamento considera os seguintes parâmetros:

– A amostra considera todos os fundos que estiveram ou estão presentes no mercado desde dezembro de 2010 até dezembro de 2019;

– Fundos encerrados antes de dezembro de 2019 fazem parte da amostra de tal modo que a amostra é variável e considera todos os fundos presentes em cada data.


Patrimônio da indústria de fundos:

No mês de dezembro de 2019 o patrimônio da indústria de fundos está no seu maior nível histórico com R$ 5,02 trilhões, aumento de 15,27% com relação ao mês de dezembro de 2018 quando o patrimônio da indústria era de R$ 4,35 trilhões.

Em dólares a indústria de fundos se mantém acima de US$ 1 trilhão desde dezembro de 2016. No gráfico abaixo encontramos a evolução desde janeiro de 2017.

Considerando uma amostra mensal desde dezembro de 2012, o melhor registro do patrimônio em dólares aconteceu em julho de 2019 com US$ 1,27 trilhão.
Metodologia de cálculo do patrimônio da indústria:Para calcular o patrimônio da indústria de fundos a Economatica segue a seguinte metodologia:= (soma do patrimônio de todos os fundos da indústria) – (valor alocado em cotas de fundo conforme carteiras apresentadas à CVM).

Desta maneira o cálculo elimina a dupla contagem da alocação de fundos de fundos.


Indústria de fundos Vs Valor de Mercado bolsa B3

O valor de mercado de todas as empresas listadas na bolsa B3 no mês de dezembro de 2019 é de R$ 4,5 trilhões contra R$ 5,02 trilhões da indústria de fundos.

Até agosto de 2014 o tamanho dos dois mercados eram muito próximo, abrindo o spread a partir desta data.


Renda Fixa vs Renda variável

No gráfico abaixo verificamos que a alocação em renda fixa (debêntures, depósitos a prazo de instituições financeiras, operações compromissadas e títulos públicos) no mês de dezembro de 2019 representa 74,26% do total do patrimônio da indústria. Os ativos de renda variável (ações, posições doadas, BDR’s, Unit´s e posições short) representam 10,14% do patrimônio da indústria.


Distribuição dos ativos de renda fixa

No gráfico abaixo podemos visualizar a distribuição da alocação de renda fixa por tipo de instrumentos (debêntures, depósitos a prazo de instituições financeiras, operações compromissadas e títulos públicos) de dezembro de 2012 até dezembro de 2019.

A alocação em títulos públicos no mês de dezembro de 2019 representa 44,41% do patrimônio da indústria. O maior percentual foi registrado em março de 2018 com 46,25% do PL da Indústria.

As operações compromissadas representam 18,84% do PL da indústria, que é o menor percentual alocado neste instrumento no período da amostra.

A alocação em depósitos a prazo em dezembro de 2019 é de 7,12% do PL da indústria, que também é o menor valor registrado desde janeiro de 2012.

As debêntures alocadas na indústria de fundos representam 3,89% do PL da indústria. O melhor registro foi no mês de junho de 2019 quando concentravam 4,07% da indústria.


Evolução de renda variável na indústria de fundos


O levantamento considera a seguinte metodologia:

– Não foram considerados fundos de participação;

– A amostra considera todos os fundos que estiveram ou estão presentes no mercado desde dezembro de 2012 até dezembro de 2019;

– Fundos encerrados antes de dezembro de 2019 fazem parte da amostra de tal modo que a amostra é variável e considera todos os fundos presentes em cada data;

– Consideramos todos os fundos com alocação em renda variável (fundos de ações, multimercados, etc.);

– A posição Gross em renda variável é calculada da seguinte maneira:   
GROSS = (Ações + BDR + UNITS + Posições doadas) + Short

– A amostra é efetuada até o mês de dezembro que é a última carteira publicada por todos os fundos da indústria;

– No cálculo foram desconsideradas as posições da ação da Litel que se encontra em carteiras do BB DTVM e Caixa Econômica.

No mês de dezembro de 2019 o valor total alocado na indústria de fundos em renda variável é de R$ 508,9 bilhões, que representa 10,14% do patrimônio da indústria. O valor e a posição é gross em renda variável, isto é, a posição shorteada entra como posição positiva e não negativa.

O volume alocado de R$ 508,9 bilhões é o maior valor nominal já registrado na indústria de fundos historicamente.

O levantamento mostra a evolução em renda variável desde dezembro de 2012 e o melhor momento percentualmente foi em março de 2013 com 10,32%. O pior registro aconteceu em fevereiro de 2016, com somente 4,35% do patrimônio da indústria.

Se já for usuário da plataforma de fundos da Economatica e desejar efetuar algum levantamento complementar entre em contato com o nosso suporte pelo telefone 011 40813800 ou pelo email info@economatica.com.br . Se ainda não é nosso usuário ou não possui a base de fundos, solicite um trial pelos mesmos canais.

ESTUDOS RELACIONADOS

BTC – Evolução, março dispara o número de ne…

O levantamento considera a evolução mensal do BTC (Banco de títulos da...

Leia mais

7 de abril de 2020 | Por Economatica

Relatório mensal de fundos de investimento por cl…

Com base nos dados disponíveis na nossa plataforma de análise (fonte CVM...

Leia mais

6 de abril de 2020 | Por Economatica

Lucro das empresas de capital aberto cresce 7,16% …

A análise abaixo foi efetuada com base nos demonstrativos financeiros padronizados entregues...

Leia mais

1 de abril de 2020 | Por Economatica