Lucro das empresas de capital aberto brasileiras tem crescimento de 10,6% no terceiro trimestre de 2019 com relação a 2018

No levantamento a Economatica utiliza os demonstrativos financeiros (ITR´s) entregues pelas empresas à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) até o dia 15 de novembro. A Empresa Oi não faz parte da amostra por não ter apresentado o ITR à autarquia até a data do levantamento.

O lucro consolidado de 309 empresas brasileiras de capital aberto no 3º trimestre de 2019 é de R$ 59,7 bilhões contra R$ 54,0 bilhões no mesmo período de 2018, o que representa crescimento de R$ 5,72 bilhões ou 10,6%.

Seis setores dos 26 analisados têm prejuízo em 2019, no ano de 2018 somente dois setores tinham registrado prejuízo.

O setor mais lucrativo é o de Bancos com 24 instituições que juntas registram R$ 21,6 bilhões em 2019 contra R$ 18,9 bilhões em 2018. Crescimento de R$ 2,66 bilhões ou 14,1%.

O setor de Papel e Celulose com quatro empresas tem o maior prejuízo em 2019 com R$ 3,31 bilhões negativos. O setor é influenciado pesadamente pela Suzano S.A. que registra prejuízo de R$ 3,46 bilhões em 2019.

Dos 26 setores listados pela Economatica, 15 têm crescimento e 11 têm queda de lucratividade entre 2019 e 2018.

Quatro empresas registram queda superior a R$ 1 bilhão no 3° trimestre de 2019 com relação ao mesmo período de 2018 e acabam influenciando pesadamente o resultado dos seus setores e da amostra geral.

Suzano, Braskem, Siderúrgica Nacional e Telefônica Brasil juntas acumulam prejuízo de R$ 4,3 bilhões no 3° trimestre de 2019 contra lucro de R$ 5,1 bilhões no mesmo período de 2018, queda de R$ 9,51 bilhões.

Se excluirmos as quatro empresas da amostra geral das empresas de capital aberto, o lucro de 305 empresas teria crescimento de R$ 15,2 bilhões ou 31,1% no 3° trimestre de 2019 com relação ao mesmo período de 2018.


As empresas mais lucrativas no 3° trimestre de 2019

Na tabela abaixo temos as 20 empresas mais lucrativas no 3° trimestre de 2019.

Os setores de Bancos e Energia elétrica com cinco empresas têm a maior participação na lista. O setor de Petróleo e gás tem três empresas e outros sete setores aparecem com uma empresa cada um.

A Petrobras com R$ 9,0 bilhões é a empresa mais lucrativa com crescimento de 36,8% com relação ao mesmo período de 2018. A Vale é segunda empresa mais lucrativa com R$ 6,5 bilhões.

Das 20 empresas, três têm queda de lucratividade no ano de 2019 com relação a 2018.

O lucro consolidado das 20 empresas mais lucrativas em 2019 é de R$ 52,1 bilhões contra R$ 39,4 bilhões em 2018, crescimento de R$ 12,6 bilhões ou 32,1%.



As empresas com maiores prejuízos no 3° trimestre de 2019

A Suzano S.A. com R$ 3,46 bilhões negativos é a empresa com maior prejuízo no 3° trimestre de 2019, contra prejuízo de R$ 108 milhões no ano de 2018.

No ano de 2018 sete das 20 empresas tiveram lucro, as outras 13 tiveram prejuízo.

Os setores de Energia Elétrica e Transportes e serviços são os setores com maior quantidade de empresas na amostra com três empresas cada um. Outros cinco setores têm duas empresas e quatro setores aparecem com uma empresa.

O lucro líquido consolidado no 3° trimestre de 2018 das 20 empresas com maiores prejuízos em 2019 foi de R$ 672 milhões, contra prejuízo consolidado de R$ 9,47 bilhões no 3° trimestre de 2019.

Caso deseje personalizar o estudo e seja usuário da nossa solução, entre em contato com nosso suporte pelo telefone 011 40813800 ou pelo e-mail  info@economatica.com.br para que possamos lhe auxiliar na elaboração do estudo. Se ainda não for usuário da nossa plataforma, solicite um trial.

ESTUDOS RELACIONADOS

Distribuição do patrimônio da indústria de fun…

Levantamento com 22.090 fundos segue a seguinte metodologia: – O patrimônio líquido...

Leia mais

20 de fevereiro de 2020 | Por Economatica

Fundos Multimercados que bateram o CDI em janelas …

Metodologia – Consideramos todos os fundos multimercado conforme classificação ANBIMA;– Calculamos o...

Leia mais

18 de fevereiro de 2020 | Por Economatica

Quatro maiores bancos brasileiros distribuem divid…

O volume financeiro distribuído pelos quatro maiores bancos brasileiros (Santander, Banco do...

Leia mais

14 de fevereiro de 2020 | Por Economatica